Notícias

WhatsApp diz no STF que não pode revelar mensagens

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

O WhatsApp alegou ao Supremo Tribunal Federal (STF)  que não tem condições de revelar o conteúdo das conversas entre seus usuários. A afirmação foi feita nesta sexta-feira pelo cofundador da companhia Brian Acton durante audiência pública realizada no tribunal. O evento tem como objetivo discutir a legalidade dos bloqueios judiciais ao aplicativo e sobre a suspensão de serviços semelhantes.

A suspensão do serviço ocorreu porque o magistrado considerou que o WhatsApp não cumpriu a decisão judicial de quebrar o sigilo de conversas por meio do aplicativo. O pedido havia sido feito pela polícia, que investigava o tráfico de drogas na cidade. O bloqueio afetou usuários de todo o país e foi suspenso no dia seguinte, diante da alegação da empresa de que não teria condições técnicas de atender o pedido.

Segundo o delegado da Polícia Federal Felipe Alcântara de Barros Leal, a instituição tem a função de investigar, mas não consegue fazê-lo sem acesso a informação das empresas privadas. ” A gente não consegue cumprir um dos dispositivos da administração, que é eficiência, porque somos tolhidos de ter acesso a meios de comunicação”, disse.

De acordo com Acton, que é engenheiro, a tecnologia usada pela empresa, que criptografa a mensagem de ponta a ponta, impede que ela tenha acesso ao conteúdo trocado entre dois usuários.

A audiência pública acontece durante nesta sexta e na próxima segunda-feira, e tem como objetivo dar aos ministros Edson Fachin e Rosa Weber mais entendimento sobre a questão para julgarem as ações sobre o caso.

O WhatsApp tem cerca de 120 milhões de usuários no país, segundo a empresa. O Brasil é o segundo maior mercado da companhia, atrás apenas da Índia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.