Internacional

Sim, no Japão também tem buracos nas ruas — e dos grandes

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Uma grande cratera de mais de 800 metros quadrados surgida na região central da cidade japonesa de Fukuoka (sudoeste do país) provocou nesta terça-feira interrupções no trânsito e no fornecimento de energia, além de ter forçado a evacuação da zona. Apesar da dimensão da cratera (cerca de 15 metros de profundidade), as autoridades não reportaram nenhum ferido, embora teme-se que o buraco possa seguir aumentando e afete edifícios e estruturas contíguas.

As autoridades de Fukuoka, quinta maior cidade do Japão (1,4 milhão de habitantes), acreditam que o afundamento foi provocado pelas águas subterrâneas que fluem nos túneis próximos às obras para a ampliação de uma linha de metrô, informou a agência Kyodo. O pavimento começou a afundar em um cruzamento entre duas grandes avenidas diante da estação ferroviária de Hakata, a maior da cidade, em torno das 5h15 local (18h15, da segunda-feira em Brasília).

O buraco foi aumentando progressivamente até abranger a totalidade da intersecção e as calçadas (uma extensão de 30 metros de comprimento por 27 de largura) e obrigou a polícia a evacuar os edifícios e as zonas em torno do enorme buraco, que começou a encher de água procedente de canalizações subterrâneas.

Ao se tratar de uma das principais artérias da cidade, o fato provocou além disso grandes interrupções no trânsito, deixou até a 800 casas sem luz e afetou os sistemas informáticos de várias entidades bancárias. As trabalhos de ampliação da linha, a Nanakuma, também estiveram relacionados com outra cratera de menor tamanho que surgiu no mesmo distrito em outubro de 2014.

(Com agência EFE)