Notícias

SÉRIE ESPECIAL CHAPADA DIAMANTINA

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

AVENTURA HIPPIE CHIQUE POP ORGÂNICA

Trilhas, festas badaladas e preços suaves são atrações do lugar mais jovem da Chapada

Lembra da novela Estrela-Guia, protagonizada pela cantora Sandy numa aldeia hippie? O Vale do Capão parece com aquilo. É alternativo e gourmet ao mesmo tempo. Tem palmito de jaca e Nutella.

Looks dignos do Festival de Coachella, nos Estados Unidos, desfilam ao lado de blusinha indiana e sandália de couro. Dreads convivem numa boa com mechas californianas bem hidratadas. Costuma ser tranquilo, com poucas exceções anuais: São João, Réveillon e o Festival de Jazz – este ano em 22 e 23 de setembro (2017). Aí o lugar enche, mas não chega a ter confusão. É comum encontrar gente que largou tudo para viver lá, no meio do Parque Nacional da Chapada Diamantina. O clima é tão legal que até dá vontade de imitar. Palavra de quem já visitou três vezes e não vê a hora de voltar.

SE SITUE

Como chegar

A partir de Lençóis, de carro, siga pela BR 242 até Palmeiras. De ônibus (Viação Real Expresso), o trajeto dura 50 minutos e é feito em quatro horários por dia: 5h, 13h05, 19h05, 22h25. Custa R$ 9,96. Em Palmeiras, algumas placas que indicam o caminho, mas pode perguntar na rua que todo mundo sabe. A estrada de terra batida até o Vale do Capão tem cerca de 20 km e é percorrida em uns 40 minutos. Quem não está de carro precisa pegar jipe ou pedir carona, prática com um por lá.

Onde ficar

Quanto mais perto do centro, melhor. Tem o camping de Seu Dai (75 3344-1057), mais barato. A casa da pousada Grupiara (74 3344-1113) é tipo Airbnb simples. E os quartos da pousada Zazen (no Booking.com) são mais tradicionais e charmosos.

Dicas

Faz calor de dia e frio de noite. Leve repelente, lanterna recarregável e tênis confortável.

O MELHOR

A vila

Chão de paralelepípedos e casinhas coloridas. A maior parte do comércio fica lá. A praça é palco de eventos como Réveillon, São João e Festival de Jazz. Perto do coreto acontece, todo domingo de manhã, a feira. Além de hortifruti orgânico, há petiscos, roupas e cosméticos naturais. Rola até, à boca miúda, um brigadeiro que promete viagens intergaláxicas.

Riachinho

Obra prima da natureza é um clichê que vale. Cores complementares, o laranja das pedras contrasta perfeitamente com o azul celeste: parece coisa de designer. A proximidade do centro e a quase inexistência de trilha fazem dela a cachoeira mais popular do Capão. É point para curtir o pôr do sol. Como está no caminho de volta da trilha da Fumaça para o centro, é boa alternativa para melhorar a situação de pernas cansadas.

Angelica e Purificação

Pense numa água gelada? Reza a lenda que é a mais fria da Chapada. Pudera: o sol só bate direto lá por poucas horas e de manhã. O acesso é na Vila do Bomba, a 8 km do centro. Com 15 minutos de caminhada chega-se ao Poço da Angélica, piscina natural. O percurso até a Purificação demora mais uma hora e inclui até a travessia de pequenos rios. Sugiro guia.

Fumaça

Queda d’água mais famosa da região. É a maior da Bahia, com 340 metros de altura. O nome é porque, devido à altura da queda, a água se dissipa antes de chegar lá em baixo. Entre setembro e dezembro, por conta da estiagem, o volume d’água fica ainda menor. A trilha autoguiada tem 6km e demora cerca de quatro horas (ida e volta). Começa na sede da associação dos Condutores do Capão. Já para chegar à parte de baixo, a caminhada leva três dias.

Pizzaria Capão Grande

Só tem dois sabores, mas vive lotada. A pizza salgada tem tomate, cenoura, mussarela, molho pesto, azeitona, orégano e manjericão. A doce é banana, queijo e uma farofa de castanhas e gergelim. A massa é fina e sabor inigualável. A família dá para quatro ou cinco pessoas e custa R$ 66. A receita é do suíço Thomas Peterhans, radicado no Vale há mais de 25 anos. Os sucos são de frutas locais e, para substituir o ketchup, tem um melzinho com pimenta que é saborosíssimo. Abre todo dia, de 16h às 23h, menos terças-feiras. Aceita crédito e débito, coisa rara no Capão.

Coxinha de jaca

Não tem nada a ver coma fruta. Minha preferida é a vendida no bar ao lado do supermercado, que tem sabor de frango ao curry e casquinha crocante.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.