Itaberaba

Quedas de energia em Itaberaba continua preocupando consumidores

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Consumidores da COELBA de Itaberaba acordaram hoje com mais uma preocupante queda de energia em suas residências. Segundo informações, lâmpadas não acendiam corretamente e aparelhos eletrodomésticos apresentavam comportamento alterado.

As constantes oscilações de energia na cidade já prolongam-se por meses e segundo informações colhidas, o problema só irá melhorar quando a COELBA concluir as obras de uma nova rede que servirá a cidade de Seabra, aliviando a sobrecarga que atualmente há em Itaberaba.

Tais problemas relacionados à COELBA já foram alvos de críticas até do governador da Bahia, Rui Costa.

Para abrir uma queixa na ANEEL sobre os serviços da COELBA, você pode ligar 167 ou ir até o site da ANEEL aqui.

VEJA SEUS DIREITOS:

A indenização, regulamentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), está condicionada a algumas regras e procedimentos formais, mas é uma garantia com a qual o consumidor pode contar, desde que comprove a condição.

Entenda como o consumidor deve solicitar indenizações para danos por queda  de energia, e quais as condições para isso:

POR ONDE RECORRER

O meio para o qual o consumidor pode recorrer depende do tamanho do dano que a queda de energia gerou para ele. Em geral, recomenda-se que as causas com reparo solicitado inferior a 20 salários mínimos sejam realizadas através do Juizado Cível Especial, que não exige a contratação de um advogado, e tende a receber resoluções com menos tempo de espera.

Em casos superiores à soma de 20 salários mínimos, é necessário recorrer a um advogado para entrar com uma ação na justiça regular, onde haverá um processo provavelmente mais lento. Os consumidores que estiverem em dúvida também podem recorrer ao PROCON, para ter certeza de quais são os passos mais aconselhados para o seu caso, garantindo que não vá se precipitar ou gastar dinheiro desnecessariamente.

Muita vezes, em especial nos casos de valores muito pequenos, é comum que a reparação venha em forma de descontos nas contas elétricas ao longo do tempo, pelo período determinado pela decisão judicial.

APRESENTAÇÃO DE PROVAS

É necessário que o consumidor consiga provar o dano sofrido pela queda de energia. Fotos, vídeos, notícias e notas fiscais dos produtos e objetos perdidos em função do problema ajudarão o caso a ter maiores chances de vitória.

Documentos, como o número do protocolos das ligações telefônicas para a concessionária de energia também são provas importantes que você pode utilizar para fortalecer sua ação.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

Em primeiro lugar, é essencial que o consumidor não mande um aparelho estragado pela queda de energia por conta própria. Isso provavelmente fará com que um pedido simples de indenização seja indeferido.

Tendo isso em mente, para recorrer ao PROCON, são necessárias as documentações pessoais, a conta de eletricidade, a data e hora prováveis do dano ocasionado pela queda de energia, e a lista (se possível, com provas) dos produtos afetados durante esta queda. Com a apresentação destes dados e o preenchimento dos formulários, será dada a entrada no processo de indenização.

Caso o consumidor opte por entrar na justiça, o recomendado é consultar um advogado, que o orientará a respeito de todos os dados e procedimentos necessários para a disputa legal em troca de indenização.

POSSIBILIDADE DE DANOS NÃO MATERIAIS

Em alguns casos específicos, onde pode ser comprovada a situação de constrangimento ou algum outro tipo de dano moral, o consumidor pode recorrer à justiça comum na tentativa de obter uma indenização que cubra o dano.

Nestes casos, é provável que a ação seja mais demorada, e as garantias de indenização são um pouco mais subjetivas, o que torna a vitória judicial mais ligada à força do caso apresentado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.