Notícias

Quadro clínico de Dona Marisa é irreversível, afirma cardiologista

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

O quadro clínico da ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, 66 anos, é irreversível, segundo informou o cardiologista Roberto Kalil Filho no final da noite desta quarta-feira (1º). Antes, os médicos já haviam sinalizado que  desde o início da noite a situação é “dramáticas” e que o quadro é “gravíssimo”.

Dona Marisa não tem mais fluxo cerebral, está sedada e respira com ajuda de aparelhos, de acordo com o médico. A ex-primeira-dama segue internada na UTI do Hospital Sírio-Libanês, que fica em São Paulo. Segundo o cardiologista, três motivos levaram à piora do estado de saúde da ex-primeira-dama. A inflamação e o edema causados pelo AVC não regrediram, a pressão intracraniana aumentou e houve vasoespasmos (contrações de vasos sanguíneos) no cérebro. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está no hospital ao lado de Marisa.

Histórico
Ao longo do dia ela teve diversas ocorrências de vasoespasmos, quando a artéria se fecha e impede o fluxo de sangue na região. Na terça-feira (31), os médicos haviam cortado os sedativos que deixavam a ex-primeira-dama em estado de coma induzido. No entanto, diante da piora do estado de saúde de Marisa, a equipe do hospital Sírio-Libanês decidiu colocá-la novamente em coma induzido.

Desde o início da tarde, Marisa passou a sofrer anisocoria, quando as pupilas se dilatam, sintoma de falta de sangue no cérebro. Ela está internada desde terça-feira (24) de janeiro, depois de sofrer um acidente vascular cerebral.