Notícias

Perucas de funcionários do Extra causam polêmica na Black Friday

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

O “blackface” é uma técnica de maquiagem na qual pessoas brancas se pintam de preto para estereotipar características físicas dos negros e representa-las de maneira caricatural, reforçando o racismo.

Usada durante todo o século XX no teatro, cinema e publicidades, o método expõe a maneira racista como diversas pessoas veem o negro.

Tida como algo restrito ao passado, a recorrência dessa representação mostra que ela, infelizmente, ainda não ficou para trás e novos casos demonstram que ainda há gente que não reviu os seus preconceitos.

Usuários das redes sociais dizem ter visto o último fato deste tipo na unidade do supermercado Extra, pertencente ao Grupo Pão de Açúcar, para comemorar o Black Friday nesta sexta-feira (24).

Na ocasião, caixas do local, que estava todo decorado para a data, vestiram perucas crespas em uma irresponsável e incerta alusão à tradução da palavra “black” para o português.

Estarrecida com o que viu, a usuária Cristiane Alves defende que “caricaturar pessoas negras é mais uma ferramenta de opressão. Estas atitudes são abusivas e nos ridicularizam. Homens e mulheres negros ouvem inúmeras ofensas sobre seus cabelos. Ouvimos piadas, somos discriminados, não somos contratados por muitas empresas porque não temos um cabelo comportado. Esse tipo de atitude é engraçada pra quem?”, pergunta a ativista e comunicadora.

Preocupadas com o que ocorria, algumas mulheres avaliaram e questionaram a página oficial da rede.

Procurada pelo Adnews em diversos canais, a marca

não se comunicou até o momento sobre o ocorrido em nenhum deles.

Atualização

O Grupo Pão de Açúcar emitiu nota oficial sobre o ocorrido:

“A rede esclarece que não houve qualquer orientação para a iniciativa retratada e que o caso apontado foi uma ação particular e pontual ocorrida em uma de suas unidades. Assim que tomou conhecimento, solicitou sua interrupção imediata. A loja lamenta pelo ocorrido e desculpa-se por qualquer ofensa causada. A rede reitera que segue diretriz estratégica da companhia para uma conduta de combate a todo e qualquer tipo de discriminação, promovendo a inclusão de todos os públicos em seu conceito mais amplo. Isso é reiterado pelo compromisso assumido internamente no seu Código de Ética e publicamente com a Coalização Empresarial de Equidade Racial e de Gênero”.

Esse conteúdo foi originalmente publicado em AdNews.