dentista-aparelho-implante-canal-dente-clinica-ortodontia-itaberaba-noticias-gardel-costa

Siga ITABERABA nas redes sociais


 
Notícias

Passos contados por Apps auxiliam na prática de exercícios físicos

APPs auxiliam na prática de exercícios.
APPs auxiliam na prática de exercícios.

Estimulado por amigos, o cirurgião cardiovascular Marcelo Mota, de 42 anos, começou a prestar mais atenção à quantidade de passos que dava diariamente. Em pouco tempo, vendo que os colegas comparavam as metas alcançadas, ele aderiu aos “duelos”, feitos por meio de aplicativos que fazem a contagem do número de passos.

Disponíveis para download gratuito em celulares dos mais diversos modelos, os contadores de passos também existem na forma de pulseiras ou relógios e se tornaram mais uma ferramenta para integrar pessoas que estão tentando iniciar uma atividade física ou melhorar a performance por meio de competições, com o objetivo de superar metas, que costumam começar com 10 mil passos.

“O aplicativo dos passos é interessante porque remete ao que era antigamente. Há 50 anos, as pessoas andavam mais. Ele ajuda a voltar a caminhar pelo estímulo de contar os passos. Comecei a usar como uma brincadeira, estimulado no trabalho, e vi que passava de 10 mil passos com facilidade. Não é um exercício físico, mas traz um início de atividade”, diz Mota.

Além de usar o aplicativo do celular há um ano, o cirurgião tem uma pulseira fitness que monitora o gasto energético e o sono. “Alguns colegas meus, médicos ou não, encaram como desafio e outros, como diversão. O aplicativo acaba sendo um jogo, mas com um benefício a mais.”

Mota, que pratica exercícios com frequência, conta que tem alcançado boas marcas. “Dou uns 15 mil passos por dia. Só uso carro quando a necessidade é muito grande.”

Competição. Todas as atividades físicas realizadas pelo blogueiro Kadu Dantas, de 33 anos, são monitoradas. Corrida, patins, skate e natação estão entre suas práticas esportivas. Nas competições de passos, seu principal concorrente é o namorado, o empresário Raphael Rocha Ferreira, de 31 anos.

“Comparo mais (os resultados) com o aplicativo do meu namorado, mas vejo também o do meu personal trainer e do pessoal da academia. Eu sempre ganho do meu namorado, porque gosto muito de andar a pé. Tento me movimentar ao máximo para atender a meta mínima, mas faço pensando na minha saúde, nos benefícios que me traz”, diz Dantas. Eles costumam correr juntos, principalmente nos fins de semana.

Ferreira afirma que o aplicativo tem servido como um estímulo para ele praticar mais a corrida.

“Eu não tinha o hábito de correr. Agora, o aplicativo e a corrida que faço com o Kadu estão me incentivando a correr ainda mais. O bacana é que um acompanha o desempenho do outro e também um incentiva o outro a se superar e a melhorar os resultados diários. Estou empolgado por usar o aplicativo e correr em dupla. É uma competição sadia entre os dois.”

Dantas diz que outro uso do aplicativo é passar os gráficos dos exercícios praticados para o seu personal trainer.

“Meu personal pede para olhar toda vez que vou para a aula, duas vezes por semana. Envio sempre, e ele vê se estou indo correr ou se estou mentindo”, brinca o blogueiro.

Sedentarismo. Embora estudos nacionais e internacionais apresentem a meta de 10 mil passos por dia como a ideal para quem quer abandonar o sedentarismo, especialistas da área de saúde afirmam que meia hora de atividade física já é suficiente para quem quer se exercitar.

“Não há um padrão médico em relação ao número de passos. A gente orienta que, quatro vezes por semana, a pessoa faça ao menos 30 minutos de atividade física. Não orientamos que os passos sejam contatos, porque tem gente que corre, gente que caminha. O importante é ter uma avaliação médica individual”, diz Alexandre Soeiro, cardiologista e supervisor do Setor de Emergências do Instituto do Coração (Incor).

Soeiro diz que o maior benefício dos aplicativos contadores de passos é o estímulo à prática esportiva. “A pessoa se empolga e passa a fazer mais atividades, porque pode compartilhar com amigos e isso anima.”

Médico ortopedista do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), Maurílio Mendes alerta para os riscos de lesões, pois as atividades muitas vezes não são acompanhadas por profissionais. “Cada paciente tem um limite determinado por várias questões, como idade e lesões prévias. Esse tipo de competição desconsidera todos os critérios importantes.” Entre as consequências estão lesões musculares.

Alerta. Professor de educação física e personal trainer, Alan Brasil diz que notou um boom dos duelos com aplicativos no último ano. Por isso, recomenda um check-up antes do início das competições. “O aplicativo de passos levou o estímulo dos jogos, da competição, para que os amigos saibam quanto você correu ou andou durante a semana, mas todo mundo tem de fazer um exame antes e conciliar a atividade com uma alimentação balanceada.”

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.