Saúde

Óleo de buriti: promessa para melhorar alimentos industrializados

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

A população da região dos cocais, no Norte do Brasil, está acostumada a tratar feridas e infecções de pele com o óleo do fruto de uma palmeira chamada buriti. De olho na riqueza do ingrediente, o químico Pedro Pessôa, do Instituto Federal do Maranhão, campus Caxias, teve a ideia de testá-lo na área alimentícia.O produto escolhido para ser turbinado foi o creme vegetal. “Resolvi utilizar uma fração do óleo de buriti no lugar do de palma, que, por ser refinado, perde boa parte de seu valor nutritivo“, informa Pessôa, que desenvolveu o projeto na Universidade Estadual Paulista em São José do Rio Preto.

Como o óleo do buriti entrou na receita em sua forma bruta, agregou ao creme vegetal compostos interessantes à saúde, como antioxidantes e vitaminas A e E. O alimento não agradou só na teoria. “Fizemos testes sensoriais e a aceitação foi boa”, relata o pesquisador.

Agora é aguardar mais pesquisa e torcer para que ele seja incorporado em alimentos disponíveis no mercado.