Esportes

Juiz espanhol quer processar Neymar por corrupção

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

A Justiça da Espanha propôs nesta segunda-feira processar Neymar por sua transferência do Santos para o Barcelona, em 2013, por corrupção, reabrindo o caso que estava arquivado desde julho. O juiz José de la Mata também quer processar o presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, além do pai do jogador e do ex-dirigente Sandro Rosell. Os promotores ainda têm cerca de uma semana para formalizar o julgamento do atleta e das outras partes envolvidas.

A Justiça quer esclarecimentos sobre o valor real da venda de Neymar. Inicialmente, o Barcelona informou que o negócio custou ao clube 57,1 milhões de euros (cerca de 249,5 milhões de reais na época). Oficialmente, o Santos recebeu 17,1 milhões de euros (cerca de 74,8 milhões de reais). Depois, o Barcelona admitiu que gastou 86,2 milhões de euros (pouco mais de 364 milhões de reais). Mas o clube espanhol alega que pagou 40 milhões de euros de indenização à empresa N&N, da família de Neymar.

O caso, tratado pela imprensa espanhola como “Neymar 2”, se refere à quantia que o fundo de investimento DIS teria direito a receber com a transferência, pois detinha 40% dos direitos do jogador. Inicialmente, o tribunal concluiu que o dinheiro que a empresa reclamava representava salários e bônus acertados, e não o valor da transferência.

Outra denúncia –  O caso conhecido na Europa como “Neymar 1” se referia aos impostos pagos pelo Barcelona sobre a contratação do brasileiro e foi encerrado em junho com um acordo entre o clube e a Justiça espanhola. O Barcelona admitiu delitos fiscais entre os anos de 2011 e 2013 e pagou uma multa de 5,5 milhões de euros (cerca de 20 milhões de reais pela cotação atual).