Notícias

Joesley e Saud dizem que mentiram em áudios achados pela PGR

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

O empresário Joesley Batista e o executivo Ricardo Saud, ex-diretor da J&F, holding que controla a JBS, disseram em nota divulgada nesta terça-feira que não falaram a verdade nas conversas gravadas encontradas pela Procuradoria-Geral da República.

Os áudios levaram o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a abrir uma investigação que pode levar à rescisão do acordo de delação premiada firmado por executivos da J&F com a Procuradoria. Nos áudios, Joesley e Saud fazem referência a autoridades da PGR e do Supremo Tribunal.

“A todos que tomaram conhecimento da nossa conversa, por meio de áudio por nós entregue à PGR, em cumprimento ao nosso acordo de colaboração, esclarecemos que as referências feitas por nós ao excelentíssimo senhor procurador-geral da República e aos excelentíssimos senhores e senhoras ministros do Supremo Tribunal Federal não guardam nenhuma conexão com a verdade”, afirma a nota assinada por Joesley e Saud.

“Não temos conhecimento de nenhum ato ilícito cometido por nenhuma dessas autoridades, o que nós falamos não é verdade”, acrescenta a nota. “Reiteramos o nosso mais profundo respeito aos ministros e ministras do Supremo Tribunal Federal, ao procurador-geral da República e a todos os membros do Ministério Público.”

Os novos áudios de Joesley e Saud levaram a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia a fazer um pronunciamento no que declarou que as conversas agridem, “de maneira inédita na história deste país, a dignidade institucional deste Supremo Tribunal e a honorabilidade de seus integrantes”.

O acordo de delação premiada dos executivos da J&F serviu de base para Janot oferecer denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer. No mês passado, a Câmara dos Deputados decidiu não autorizar o STF a analisar a acusação contra o presidente.