Política

Jair Bolsonaro e Fernando Haddad disputarão a Presidência no 2º turno

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) disputam a Presidência da República no 2º turno© Fábio Wilson Dias Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) disputam a Presidência da República no 2º turnoÀs 20h50, com 95,57% das urnas apuradas, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) confirmou que Jair Bolsonaro (PSL), 63 anos, e Fernando Haddad (PT), 55 anos, disputarão o 2º turno das eleições presidenciais.

O resultado parcial das urnas indica o militar com 46,70% dos votos, já confirmado como o mais votado. Em 2º lugar, garantido no 2º turno, está o petista com 28,37%.

Ciro Gomes (PDT) teve um desempenho melhor nas urnas do que apontavam as pesquisas, mas não o suficiente para alcançar a 2ª posição. Ficou com 12,52% dos votos válidos. Em 4º lugar ficou Geraldo Alckmin (PSDB) com 4,83%. Eis os resultados com 95,75% das urnas apuradas:

© Fornecido por Poder360 Jornalismo e Comunicação S/S LTDA.O resultado das urnas confirma a tendência indicada pelas pesquisas de intenção de voto divulgadas nos últimos dias (veja no agregador de pesquisas do Poder360). Os candidatos de PSL e PT cresceram na última semana e se destacaram dos adversários.

Essa configuração quebra a polarização PT-PSDB que se consolidou em 1994 e se repetiu em todas as eleições presidenciais até a última, em 2014.

Bolsonaro liderou todas as pesquisas desde que a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva foi barrada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Com uma campanha centrada nas redes sociais e sem a estrutura tradicional dos maiores partidos, o militar ganhou força e abasteceu esperanças, inclusive, de vencer no 1º turno.

Fernando Haddad começou a campanha desconhecido da maior parte do eleitorado. Foi oficializado candidato à Presidência em 11 de setembro. Em menos de 1 mês, incorporou parte dos votos cativos de Lula e se consolidou em 2º lugar. Eis a curva de evolução dos candidatos nas pesquisas até a véspera da eleição:

© Fornecido por Poder360 Jornalismo e Comunicação S/S LTDA.Geraldo Alckmin (PSDB) decepcionou. Dono da maior coligação, com 9 partidos, e do maior tempo de TV, não conseguiu decolar em nenhum momento da campanha. Sem sucesso, viu aliados se debandarem para o lado de Jair Bolsonaro, inclusive o PP gaúcho, de sua vice, Ana Amélia.

No fim, foi derrotado em seu próprio Estado, São Paulo, que já governou por 4 mandatos.

Candidatos nanicos

No bloco de candidatos que ficaram abaixo de 3% dos votos, o destaque foi João Amoêdo do partido Novo, que participa da sua 1ª eleição presidencial. O candidato superou em votos o MDB de Henrique Meirelles, candidato que mais gastou na campanha, o senador Alvaro Dias (Podemos) e a ex-ministra Marina Silva (Rede).

A candidata da Rede Sustentabilidade, que concorreu pela 3ª vez à Presidência foi a grande decepção. Teve seu pior desempenho, com 1% dos votos válidos –uma fração dos 21,32% que teve em 2014, quando foi candidata pelo PSB, e dos 19,33% em 2010, quando ainda era filiada ao PV.

A tendência de queda já aparecia nas últimas pesquisas. A candidata chegou a ter 16% das intenções de voto no começo do ano, mas a falta de estrutura partidária e 1 discurso que não colou junto ao eleitorado levaram à derrocada nas urnas.

À frente de Marina ainda ficou o candidato Cabo Daciolo (Patriota), que ganhou notoriedade por sua participação nos debates na TV aberta e por ter passado a maior parte da campanha em retiro em 1 monte no Rio de Janeiro.