Destaque

Homem acha iPhone em lago após 18 meses – e aparelho funciona

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Em março de 2015, Michael Guntrum, morador da cidade de Knox, no Estado americano da Pensilvânia, deixou seu iPhone 4 cair em um lago durante uma pescaria. A superfície do lago estava congelada, o aparelhou escorregou do colo de Guntrum diretamente para o buraco no gelo por onde ele e seus amigos pescavam, contou o rapaz ao site BuzzFeed.

O azarado postou uma mensagem no Facebook avisando os amigos que havia perdido o celular e achou que nunca mais o veria. E assim seria se, dezoito meses depois, um problema na barragem da região não tivesse obrigado o governo a drenar o lago – o que acabou atraindo ‘caçadores de tesouros’ ao local em busca de objetos perdidos.

O engenheiro mecânico Daniel Kalgren, que mora na região, encontrou o iPhone de Guntrum no mês passado com seu detector de metais enterrado em 15 centímetros de lodo e lama.

“Limpei o celular e o deixei no arroz – só por curiosidade, para ver se ainda funcionava”, contou Kalgren ao BuzzFeed.

Dois dias depois, o engenheiro ligou o aparelho, procurou o número do proprietário e avisou Guntrum que havia recuperado seu iPhone. “Vou enviar o aparelho por correio”, garantiu Kalgren.

Além da pressão da água, o aparelho ainda resistiu às baixas temperaturas do inverno na Pensilvânia – no dia em que Gumtrum perdeu seu celular, os termômetros mostravam 30 graus negativos.