Saúde

Há idade certa para matricular a criança na academia?

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Crianças de todas as idades precisam ser incentivadas a praticar atividades físicas. E elas devem ser agradáveis e apropriadas ao seu crescimento e desenvolvimento, além de respeitar suas limitações. Podemos incluir aqui caminhadas, jogos, brincadeiras, danças, esportes e outros exercícios que fortalecem os músculos e os ossos.

A aptidão física da criança ou do adolescente tem de ser estimulada com o objetivo de encorajar a adoção de um estilo de vida saudável, que contemple a prática de exercícios ao longo da fase adulta e na maturidade. Trata-se de um fator importante inclusive para a prevenção ou controle da obesidade infantil, tão frequente atualmente.

Há consenso nos estudos de que atividades que visam o ganho de força e a resistência muscular (caso da própria musculação) são benéficas para crianças e adolescentes por auxiliar em uma série de questões ligadas à saúde:

  • Desenvolvimento corporal
  • Equilíbrio
  • Concentração
  • Ganho de massa óssea
  • Controle do peso
  • Flexibilidade
  • Redução do risco de lesões
  • Aumento da força muscular
  • Controle do colesterol

A recomendação para a população infantil é praticar ao menos 60 minutos de atividades físicas (moderadas a vigorosas) ao dia. Vale pedalar, nadar, correr, saltar… A partir dos 6 anos de idade, a musculação pode ser considerada. O ponto é que a musculação se mostra segura e eficiente para crianças e adolescentes, desde que sistematizada e orientada de perto por um profissional especializado.

De acordo com o Colégio Americano de Medicina Esportiva e outros guias, crianças e adolescentes devem fazer atividades de força e resistência para os principais grupos musculares de duas a três vezes por semana, respeitando um dia de intervalo entre os treinamentos para o descanso da musculatura.

As sessões devem durar até 50 minutos e contar com duas a quatro séries de exercícios. A orientação é realizar de oito a 15 repetições por série, com carga moderada e foco no aperfeiçoamento do movimento. Nos outros períodos deve-se incentivar a prática das modalidades que estimulam o convívio social (como os jogos coletivos) e a coordenação motora.

Agora, a Sociedade Brasileira de Pediatria orienta que meninos antes do estirão do crescimento (normalmente, entre 14 e 15 anos) e meninas antes da primeira menstruação não pratiquem musculação sem a devida supervisão e orientação. Isso porque atividades de intensidade moderada e vigorosa podem interferir na liberação e circulação do hormônio do crescimento. Se forem realizados de forma extenuante, exercícios podem, portanto, levar a um comprometimento do ganho de altura, sem contar as lesões osteomusculares.

Assim, consultar sempre o pediatra antes de dar início à atividade física regular e contar com supervisão adequada durante os exercícios de força ou musculação são medidas importantes para que crianças e adolescentes se desenvolvam sem riscos.

Dra. Cristina Delambert Bizzotto é pediatra da Faculdade de Medicina de Botucatu da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e membro do Departamento de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria de São Paulo