Brasil

Greve dos vigilantes continua na Bahia após rodada de negociação

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Após 3 horas de negociação na sede da Superintendência Regional do Trabalho da Bahia (SRT/BA), nesta terça-feira, 30, a greve dos vigilantes continua em todo o estado.

A organização que representa a categoria (Sindivigilantes) não chegou ao acordo com a contraproposta apresentada pelo Sindicato das Empresas de Segurança Privada da Bahia (Sindesp).

O Sindivigilantes reivindica 7% de reajuste salarial, tíquete-refeição de R$ 20, cotas para as mulheres de 30% por posto de trabalho e piso salarial de R$ 1.500. Já o Sindesp manteve a proposta de 1% de aumento de salário.

Manifestação

Durante o período da reunião, os trabalhadores se concentraram em frente ao prédio do SRT no bairro do Caminho das Árvores, em Salvador.

Na concentração, o vigilante Adelmário Silva argumentou que o reajuste apresentado pelo Sindesp é insignificante. “Com essa proposta não teremos ganho efetivo”.

Aos gritos de apoio à paralisação, os vigilantes presenciaram o discurso do presidente do sindicato da categoria, José Boaventura. “Não abrimos mão da reajuste salarial de 7%. Também discordamos da proposta de trabalhar com horas extras em folga”, justifica Boaventura.

Está marcada mais uma reunião entre o Sindivigilantes e o Sindesp para quinta, 1º, às 13 h, no Ministério Público do Trabalho (MPT).

Diante da paralisação, o funcionamento das agências bancárias, do atendimento para perícia do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e funcionamento dos museus seguem comprometidos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.