Esportes

Goleiro da Chapecoense está em hospital de São Paulo

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Um dos quatro brasileiros que sobreviveram ao acidente da Chapecoense, o goleiro Jackson Follmann desembarcou em São Paulo no início da madrugada desta terça-feira, no aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital. Ainda em recuperação, ele foi transportado da Colômbia até o Brasil em um avião especial, com atendimento de UTI.

Follmann é o primeiro brasileiro sobrevivente a chegar ao país depois da tragédia que matou 71 pessoas, sendo 19 jogadores da Chapecoense, que viajavam até Medellín para o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana. O avião com a delegação do time catarinense caiu nas proximidades da cidade colombiana no dia 29 de novembro, na véspera da partida.

Seis pessoas sobreviveram ao acidente, sendo quatro brasileiros: três jogadores da Chapecoense (Follmann, o zagueiro Neto e o lateral Alan Ruschel) e o jornalista Rafael Henzel. Follmann foi o primeiro a chegar ao Brasil, no início desta madrugada, em voo que partiu da cidade colombiana de Rionegro por volta das 16h25 (horário de Brasília).

O avião parou para abastecer no início da noite em Manaus, de onde seguiu voo até São Paulo. A aeronave desembarcou em São Paulo às 00:30h e seguiu direto para o hospital Albert Einstein, onde ficará internado.

A aeronave que trouxe Follmann é equipado para o transporte de pacientes, conforme explica o cardiologista Francisco Souto, chefe médico do voo do goleiro da Chapecoense. “A aeronave é um Phenom 300, dedicada ao transporte aeromédico, onde temos todos os recursos para manter a vida e o tratamento que for necessário. Temos respiradores, desfibriladores, oxímetro, medicamentos, enfim, tudo que é necessário para transportar o paciente. É uma UTI móvel”, afirmou, em entrevista ao SporTV.

Por causa do acidente, Follmann precisou ter parte de sua perna direita amputada, sendo que no último domingo foi submetido a um novo procedimento médico para limpeza do ferimento.

Outros brasileiros 

Para esta terça-feira estão previstas as saídas da Colômbia do lateral Alan Ruschel e do jornalista Rafael Henzel, outros dois sobreviventes brasileiros da tragédia, que deverão voltar ao Brasil também logo após deixarem o hospital na cidade de RioNegro. Os dois seguirão para Chapecó em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) e ficarão internados em um hospital da cidade catarinense.

Já o zagueiro Neto, o último dos quatro sobreviventes brasileiros do acidente aéreo da Chapecoense, ainda deve ficar hospitalizado por pelo menos mais três dias na Colômbia. Ele foi a última pessoa a ser resgatada com vida no acidente e é o sobrevivente com estado de saúde mais delicado, embora já tenha deixado a condição de coma induzido, passando a respirar sem ajuda de aparelhos, o que inicialmente foi necessário em razão de uma infecção pulmonar.