Esportes

Gol no fim não tira o Rubro-Negro da zona de rebaixamento

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

O Vitória conquistou um importante resultado na noite deste domingo, 5, no Maracanã, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Depois de sofrer um gol logo nos minutos iniciais da partida, o Leão correu atrás do prejuízo, foi superior ao Vasco e chegou ao empate nos acréscimos, depois de criar várias chances: 1 a  1.

O ponto ganho não foi suficiente para tirar o Leão da zona de rebaixamento. O time comandado por Vagner Mancini – que começou a rodada no 19º lugar – tem 35 pontos e ocupa a 17ª colocação.  Caso o Sport não tivesse empatado com a Chapecoense, no último lance do jogo, o Vitória teria saído do Z-4.

 

 

Pela produção durante a partida, porém, o Rubro-Negro baiano deveria ter saído com o triunfo. O problema foi ter levado um gol em lance de bola parada. Aos nove minutos, Nenê cobrou falta na área, Breno ganhou de Kanu na segunda trave e cabeceou firme. Fernando Miguel ainda tocou na bola, mas não o suficiente para evitar a bola na rede.

O time de Vagner Mancini ficou perdido após o duro golpe e cedeu espaços ao adversário. Aos 16 minutos, Mateus Vital tentou chute da entrada da área e exigiu boa defesa de Fernando Miguel.

Depois, o Leão voltou a ter calma e começou a encontrar espaços pela direita, principalmente com as subidas de Patric. Em uma delas, aos 22, o lateral direito recebeu lançamento pelo alto e cabeceou para trás. Yago tentou o chute, que bateu na zaga. Os jogadores reclamaram mão na área, mas o lance seguiu.

Ainda na primeira etapa, Tréllez ganhou de Martín Silva em velocidade e cruzou, quase sem ângulo, para a defesa do Vasco afastar. Também teve uma boa chegada de Patric, mas que terminou nas mãos do goleiro.

A melhor oportunidade da etapa inicial, contudo, ficou para os minutos finais. Após cruzamento de Yago, Tréllez deu uma casquinha de cabeça e a bola sobrou para Juninho soltar a bomba da esquerda, mas Martín Silva evitou o empate com uma boa defesa.

Artilheiro salva o Leão

No segundo tempo, foi um massacre rubro-negro. Com linhas adiantadas, o Vitória acuou o Vasco. Em vários momentos, os laterais Patric e Juninho entraram na área ao mesmo tempo, como se fossem atacantes. A pressão aumentou quando André Lima entrou no lugar de Ramon.

Aos 17 minutos, o centroavante serviu David na grande área, que perdeu bom lance com chute ao lado do gol de Martín Silva. Logo depois, Patric invadiu a área pela direita e chutou com perigo, à direita da meta vascaína.

O Vasco tentou com Andrés Ríos, que acertou a trave em chute da grande área, mas a pressão continuava sendo rubro-negra. Aos 37, Yago cruzou da esquerda. Na confusão dentro da área, a bola sobrou para Kanu cabecear e Martín Silva salvou em cima da linha.

André Lima teve ótimas chances de cabeça, mas desperdiçou. Aos 46 minutos, quando a bola foi cruzada por Patric, o atacante matou no peito e usou o pé direito para chutar forte e mudar a história do jogo: 1 a 1.

Na quarta-feira, o Vitória recebe o Palmeiras, às 20h45 (horário da Bahia), no Barradão, pela 33ª rodada. O atacante Neilton recebeu o terceiro cartão amarelo e está fora da partida. No mesmo horário, o Vasco – oitavo colocado com 45 pontos – vai enfrentar o Santos na Vila Belmiro.