Itaberaba

Espaços públicos de Itaberaba recebem poética estudantil

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Os estudantes do Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Itaberaba, levaram a arte poética para além dos muros da escola. Trata-se do projeto “Poesia no Ponto”, em sua terceira edição, no qual os alunos promovem intervenções em espaços públicos, a exemplo do largo da antiga rodoviária do município. Além de distribuir para os transeuntes os poemas autorais impressos, eles declamam em voz alta e dramatizam os conteúdos de cunho social.

A estudante Ana Júlia Sales, 14, costuma declamar o seu poema “Dona Maria”, no qual versa sobre emancipação feminina. “Este projeto é muito interessante e fico muito encantada em participar, porque ampliou meus horizontes em relação a questões sociais, como a situação de submissão das mulheres, que precisam tomar consciência para lutar pelos seus direitos e seu lugar na sociedade. Também foi muito legal perceber que este projeto de Português interage com outras áreas do conhecimento, como Sociologia, Filosofia e História. Então, foi fazendo poesias que discutimos muitos temas atuais e importantes para o nosso crescimento”, conta a aluna, que é líder de classe.

A colega Mariana Souza, 14, também fala sobre o projeto que a estimulou a escrever os versos de “Preconceito com P de preto”. “A poesia é um instrumento importante para falarmos de temas como racismo, desigualdade social, educação e situação política do país, que nos atingem e nos sensibilizam, despertando a nossa consciência. É muito gratificante este trabalho porque contribui não só para o nosso aprendizado, mas também para levarmos conhecimentos para outras pessoas”.

Idealizadoras do “Poesia no ponto”, as professoras de Língua Portuguesa Geovana Rodrigues e Cristina Maria Santana explicam que o projeto tem como objetivo despertar o gosto pela leitura e pela arte de escrever, bem como estimular a expressão criadora e a integração da escola com a comunidade. “Desenvolvemos o trabalho durante três meses em sala de aula e atividades extraclasse. Motivamos os nossos alunos a lerem e escreverem poemas de crítica social e a terem contato com textos literários e jornalísticos. O resultado foi a produção poética criativa, engajada e rica em conteúdo. Eles têm apenas entre 14 e 15 anos e já estão bem preparados para, quando chegarem no 3º ano, escreverem com desenvoltura as suas dissertações”, destaca Geovana Rodrigues.