Educação

Enem 2016: chutar ou deixar em branco – o que é melhor?

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Neste fim de semana, 8,6 milhões de candidatos enfrentam a “maratona” do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). São dez horas para resolver 180 questões, o que daria uma média de 3,3 minutos para cada pergunta – sem contar a redação e preenchimento do cartão resposta. Com esse tempo reduzido, algumas questões podem ficar de lado e, segundo os professores, há uma boa técnica para decidir se é melhor chutar as respostas ou deixá-las em branco. Thiago Dutra, professor de matemática do Anglo Vestibulares, explica que, para escolher o que fazer, o aluno deve conhecer a Teoria de Resposta ao Item (TRI), a metodologia usada pelo Enem para avaliar os estudantes.

No sábado (5 de novembro), os alunos terão 4h30 para resolver as questões de Ciências Humanas e da Natureza e, no domingo (6 de novembro), serão 5h30 para concluir a prova de Redação, Matemática e Linguagens, Códigos e suas Tecnologias.

Depois do exame, o site de VEJA exibe o gabarito extraoficial com questões resolvidas pelos professores do Anglo Vestibulares.

Confira todas as dicas sobre a Teoria de Resposta ao Item (TRI):