Uncategorized

Eliana teve medo de morrer um dia antes da filha nascer

Apresentadora enfrentou gravidez de risco: ‘sabia que esta seria a última chance de ter filho novamente’

(Por Guilherme Guidorizzi)

liana temeu por sua vida na véspera do nascimento da pequena Manuela, nascida em 10 de setembro. “Achei que fosse morrer um dia antes do nascimento da minha filha. Eu tive um surto, um medo”, admitiu a apresentadora a Roberto Cabrini ao receber o jornalista em sua casa. A entrevista irá ao ar neste domingo (29) em seu programa no SBT. Antes, nesta sexta e sábado vai comandar a maratona do “Teleton”. Eliana lembrou ainda o que fazia quando precisou ficar de repouso absoluto. “Ficava deitada observando diferente de anos e anos de vida quando as pessoas me observavam. O ângulo da minha vida mudou”, frisou.

A noiva de Adriano Ricco, com quem posou ao mostrar pela primeira vez Manuela, exaltou ainda o papel da família. “Apesar de todo medo, apesar de toda a tristeza, foi muito bom ter ficado no colo da minha mãe”, afirmou. “Se eu não tivesse a minha mãe por perto, se eu não tivesse a benção de ter sido mãe pela primeira vez do Arthur (de 6 anos), se eu não tivesse tido a história de vida que eu tive lá atrás, a criação, a educação dos meus pais, meu pai, minha mãe, talvez eu não conseguisse passar por tudo isso sorrindo e tendo coisas boas pra contar”, acrescentou.

Em outro momento da entrevista, se emocionou ao lembrar novamente a perda de um bebê, no ano passado, de maneira espontânea, aos três meses de gestação. “Aprendi que a gente não tem controle de nada, que a gente não é nada, e que quando a gente tá feliz é bom aproveitar cada instante, porque a gente não sabe quanto esta felicidade vai durar”, contou Eliana, cuja mãe, Eva, e o noivo, recorreram à Padroeira do Brasil. “Os dois fizeram promessa para Nossa Senhora de Aparecida. O dia que eu voltei pra minha casa, depois de quase cinco meses, ela pegou a estrada com meu noivo e foi para Aparecida agradecer e levou a toquinha que a Manuela usou”, disse.

Aos 43 anos, a apresentadora sabia que não teria uma outra chance de ser mãe de novo. “Ter engravidado novamente mostrava que eu estava muito fértil ainda. Me preocupava, porque eu sabia que esta seria a última chance de eu ter filho novamente. É agora ou nunca. Veio o sol, a luz da minha vida, a Manuela”, frisou se referindo à caçula, uma criança descrita por ela como “muito calma”. Logo no início da gravidez da menina, a ex-integrante do grupo Banana Split passou por uma cirurgia de emergência pois corria o risco de sofrer um novo aborto.

Eliana elogiou ainda o relacionamento com o produtor da TV Globo. “Eu amo nossa relação de respeito. É mais madura… Obviamente porque a gente aprende algumas coisas. União é amor. União e fé talvez defina este momento que eu vivo. Eu peço a Deus, todos os dias que essa relação seja para o resto da vida”, apontou.

Eliana destaca temperamento da filha, Manuela: ‘Criança muito calma’