Destaque

Defesa de João de Deus pede aval para médium trabalhar sob supervisão policial

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Mesmo com o pedido de prisão preventiva, o médium João Teixeira de Faria –conhecido como João de Deus– quer continuar seus trabalhos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, Goiás.

O advogado Alberto Toron, que defende o médium, apresentou petição nesse sentido na tarde desta 5ª feira (13.dez.2018), em Alexânia (GO), cidade vizinha a Abadiânia, pedindo aval para que, caso seja determinada a prisão preventiva, João de Deus possa continuar fazendo atendimentos sob supervisão policial.

“Nós trouxemos uma petição, que se ele assim o desejar, para o seu João de Deus continuar o trabalho dele, ele poderá filmar todo o trabalho. Se ele [o juiz] quiser colocar policiais na casa, poderá fazê-lo, para se ter certeza de que nada de ilícito ali é praticado. E não queremos que a Justiça entenda como afronta o retorno aos atendimentos”, disse em entrevista ao portal Metrópoles.

Segundo o site oficial do TJ-GO (Tribunal de Justiça de Goiás), o juiz titular de Alexânia é Fernando Augusto Chacha de Resende, que também é juiz substituto em Abadiânia. De acordo com o mesmo documento, a titular em Abadiânia é uma juíza.

O advogado também disse que foi solicitado ao MP-GO o acesso ao pedido de prisão preventiva protocolado nesta 4ª feira (12.dez.2018) pelo órgão, assim como todas as provas recolhidas.

“Não tivemos acesso a nenhuma prova. É impossível rebater o pedido de prisão preventiva já que nós não conhecemos seus fundamentos. De qualquer modo, nós salientamos que o senhor João de Deus está à disposição da Justiça para prestar depoimento”, afirmou Toron.

JOÃO DE DEUS FOI DENUNCIADO POR ABUSOS SEXUAIS

Médium de políticos e celebridades, João de Deus é famoso por realizar “cirurgias espirituais”.

Ele faz atendimentos no hospital espiritual Casa de Dom Inácio na desde 1976 na cidade de Abadiânia (GO), a cerca de 90 km de Brasília (DF). Foi apadrinhado por Chico Xavier (1910-2002), médium mais famoso do Brasil e grande expoente do espiritismo.

Na madrugada do último sábado (8.dez.2018), o programa Conversa com Bial, da TV Globo, revelou casos de abusos sexuais atribuídos ao médium por 4 possíveis vítimas.

Com a repercussão do caso, o Ministério Público de Goiás, Estado no qual os fatos teriam acontecido, criou uma força-tarefa em parceria os MPs de outros Estados para identificar vítimas e colher depoimentos.

O MP-SP (Ministério Público de São Paulo) também criou uma força-tarefa com o mesmo intuito.

MP RECEBEU 330 DENÚNCIAS CONTRA JOÃO DE DEUS

O MP-GO recebeu até esta 5ª feira (13.dez.2018) 330 denúncias de abuso sexual contra o médium, que foram feitas por meio de telefone e pelo e-mail: denuncias@mpgo.mp.br.

As vítimas disseram ser de Goiás, do Distrito Federal, de Minas Gerais, de São Paulo, do Paraná, do Rio de Janeiro, de Pernambuco, do Espírito Santo, do Rio Grande do Sul, de Mato Grosso do Sul, do Pará e de Santa Catarina.

Elas estão recebendo orientação para depor no MP de seu Estado.

(com informações da Agência Brasil)