Saúde

Corpo são, mente sã: veja como exercícios ajudam o psicológico

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

O exercício propicia benefícios psicológicos, incluindo melhorias na autoconfiança e no estado de alerta mental e alívio de transtornos do humor

A maioria de quem se exercita com frequência relata uma maior sensação de bem-estar. Isso resulta de uma combinação de fatores, mas, sobretudo, de uma redução no estresse e uma atitude mental mais positiva. Portanto, podemos concluir que a máxima “corpo são, mente sã” não poderia ser mais verdadeira. Veja como esse processo acontece.

Como seu corpo reage

Após a liberação da tensão e da ansiedade, segue-se um estado de relaxamento, que propicia um bem-estar e até euforia. As explicações para essa elevação do humor variam, mas há três teorias principais:

  • Teoria da “euforia do corredor”. Ela afirma que o exercício prolongado libera no cérebro as endorfinas, ou seja, substâncias químicas que elevam o humor.
  • Teoria dos termogênicos. Atribui níveis baixos de tensão a um aumento da temperatura corporal, que, por sua vez, afeta as ondas cerebrais.
  • Teoria dos neurotransmissores. Sugere que o exercício amplia a sensibilidade dos receptores cerebrais de serotonina. Desse modo, torna tais mensageiros químicos naturais mais eficazes na redução da dor.

Além do efeito sobre o estado emocional, o exercício regular promove um aumento da autoestima; graças a uma melhor imagem corporal e maior autoconfiança. Portanto, ao se sentir capaz por completar um exercício e desenvolver suas habilidades adquire-se estabilidade emocional e autossuficiência notáveis.

O exercício ou o esporte não têm de ser intensos para melhorar o humor e aliviar o estresse. Mesmo esportes moderados garantem benefícios emocionais, graças à atividade física e às oportunidades sociais que oferecem.

Alivie a pressão

Apesar de ser um fenômeno psicológico, o estresse tem efeitos físicos claros. Certo grau de estresse é inevitável, e até desejável, no cotidiano, já que pode agir como um estímulo para maiores conquistas. Além disso, também melhora o desempenho físico, acelerando o metabolismo. No entanto, se crônico, os níveis de excesso são prejudiciais e capazes de causar doenças físicas potencialmente fatais.

O papel do estresse

A reação corporal ao estresse ajuda você a lidar com perigos físicos. Numa situação estressante, a adrenalina e a noradrenalina são liberadas, dando energia extra. A frequência cardíaca aumenta e a pressão arterial sobe, o fígado lança glicose para produzir energia e todos os sentidos se aguçam, já que o corpo vivencia um estado de vigilância extrema. Entretanto, essas mudanças fisiológicas demandam uma resposta física. Assim, quando o estresse não é liberado, pode gerar danos físicos e tensão mental.

Danos a longo prazo

Níveis altos de hormônios do estresse no sangue aumentam a frequência cardíaca e a pressão arterial, podendo provocar infarto. A longo prazo, elevam os níveis de gordura e colesterol no sangue e causam o entupimento de artérias com o acúmulo de ácidos graxos, ampliando também as chances de um ataque cardíaco.

O estresse a longo prazo ainda pode enfraquecer o sistema imunológico, deixando-o propenso a infecções, e levar à depressão, já que tensão, ansiedade e fadiga afetam o equilíbrio das substâncias químicas cerebrais.

Estudos indicam que 30-60 minutos de exercício moderado elevam os níveis de endorfina, reduzindo a ansiedade, a depressão e o estresse. Não esqueça: Corpo são, mente sã!

Acabe com a melancolia

O exercício e a interação social conseguem aliviar o estresse e algumas formas de depressão. Junte ambos e terá um excelente tônico para a melancolia. Inscreva-se em atividades em grupo no seu bairro, como aulas de:

  • ioga;
  • natação;
  • ginástica;
  • dança.

Divirta-se!

Embora você possa se exercitar sozinho, frequentar aulas de ginástica e de dança, clubes, ou integrar equipes esportivas é uma excelente maneira de fazer amizade. Os objetivos em comum e a sensação de conquista de colegas criam vínculos potentes. E fazer parte de um grupo pode trazer a conscientização de que há muitos com ambições similares às suas.

Nos estágios iniciais de um novo programa de exercício, a presença e o encorajamento dos outros ainda ajudam a motivá-lo a aderir e a evitar a sensação de que o exercício seja uma tarefa.