Notícias

Consumir pimenta aumenta a longevidade

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

De acordo com o estudo, a redução do risco de morte por câncer, doenças isquêmicas do coração e doenças do sistema respiratório associado à ingestão de pimenta ficou mais evidente nas mulheres do que nos homens
De acordo com o estudo, a redução do risco de morte por câncer, doenças isquêmicas do coração e doenças do sistema respiratório associado à ingestão de pimenta ficou mais evidente nas mulheres do que nos homens

 

Consumir alimentos apimentados, três a sete vezes por semana, pode reduzir em 14% o risco de morrer. É o que diz um estudo publicado recentemente no periódico científico British Medical Journal.

Os pesquisadores analisaram o estado de saúde e a ingestão de alimentos por 500.000 pessoas. Os participantes com histórico de câncer e doenças cardiovasculares foram excluídos da análise. Levou-se em conta fatores como idade, estado civil, nível educacional e prática de atividade física.

Os resultados mostraram que as pessoas que consumiam alimentos apimentados uma ou duas vezes por semana tinham um risco de morrer 10% menor em comparação àqueles que consumiam o condimento menos de uma vez por semana. Quando o consumo era de três a sete vezes por semana, o risco diminuía em 14%. A associação entre o consumo de pimenta e a redução no risco de morte foi igual para homens e mulheres.

Os efeitos da pimenta são atribuídos a seus componentes ativos, como a capsaicina, substância que dá a sensação de ardência. O composto possui ação anti-intiflamatória e propriedades analgésicas. Os beneficios, porém, só são obtidos com o consumo regular.

O estudo não revelou o tipo de pimenta mais benéfica à saúde. Mas estudos mostraram que o condimento fresco pode ser mais saudável por possuir uma quantidade maior de capsaicina.

 

Fonte: Veja

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.