Notícias

Consumidor pagou R$ 1,8 bi a mais na conta de luz em 2016

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Os brasileiros pagaram 1,8 bilhão de reais a mais na conta de luz em 2016. O valor corresponde à energia que deveria ter sido entregue pela usina nuclear de Angra 3, cujas obras estão paralisadas e sem data para ser concluídas.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), “os consumidores não sofrerão nenhum prejuízo”, pois o valor pago indevidamente será ressarcido por meio de descontos nos reajustes tarifários deste ano. A agência informou que as quantias serão reajustadas pela taxa de juros básica do país, a Selic.

A Aneel informou também que determinou em 2015 que os encargos referentes a Angra 3 não fossem recolhidos, mas admitiu que mesmo assim houve cobrança.

“O valor estimado foi repassado aos processos tarifários das distribuidoras em 2016. Para 2017, a previsão do ERR (encargo) referente a Angra 3 foi retirada dos processos tarifários”, informou a agência.

Contratada para aumentar a segurança do sistema elétrico, a usina nuclear de Angra 3 será remunerada por um encargo cobrado nas tarifas para custear a “energia de reserva”.

A previsão original era que Angra 3 iniciasse as operações no fim de 2015, mas desde muito tempo havia sinais de que o cronograma não seria cumprido, em meio a problemas financeiros da Eletrobras, responsável pela usina, e investigações de corrupção no empreendimento.A Aneel não informou imediatamente para quem foram direcionados os recursos arrecadados para custear a energia de Angra 3 em 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.