Notícias

Confissões sexuais de Joesley fazem lembrar Frank Underwood

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Relatos picantes de delator levam o escândalo JBS a ter seu momento ‘House of Cards’

Tudo é sobre sexo. Exceto o sexo. Sexo é sobre poder”, disse Frank Underwood, o inescrupuloso presidente dos Estados Unidos em ‘House of Card’.

Na série da Netflix, o político usa o sexo como ferramenta de trabalho: é na cama de uma jornalista que ele passa as informações que deseja disseminar na mídia em benefício de seu projeto de poder.

Mas, quando a moça se torna uma ameaça, Frank faz jus ao estilo maquiavélico e se livra da repórter com a frieza típica de um psicopata – afinal, o poder e a impunidade precisam ser mantidos, custe o que custar.

Em trechos do áudio da conversa entre Joesley Batista e Ricardo Saud, amplamente reproduzidos na imprensa, o dono da JBS e delator-mor do País insere o sexo no contexto político da crise sem fim que afunda o Brasil.

O magnata da carne avisa que um aliado “precisava levar para a cama uma das envolvidas na negociação com o MPF (Ministério Público Federal)”, de acordo com destaque de ‘O Antagonista’.

Saud completa: “Isso não é tesão nem amor nem paixão. É trabalho”. Dá pra imaginar Frank Underwood olhando para a câmera, cúmplice e debochado.

Em outro momento da gravação, Joesley revela uma fantasia sexual: está “invocado” em transar com uma “velha por aí”, segundo o site do ‘Estadão’.

Tem mais: o empresário conta ter “arrumado” um homossexual (ele diz um termo nada politicamente correto) para usá-lo em negociações. Isso mesmo: oferecer o tal rapaz gay como moeda de troca.

Neste momento, Frank já estaria gargalhando apoiado em sua mesa no Salão Oval. Não há limite para a baixaria nos escândalos tupiniquins.

A mídia, em seu papel, divulga as indiscrições de Joesley e seus asseclas. Até o pomposo ‘Jornal Nacional’ destacou o explosivo e vexaminoso teor sexual do novo áudio.

Com desconcertante honestidade, o polemista sexual Marquês de Sade declarou: “A primeira lei que a natureza me impõe é gozar à custa de quem for”.

No caso do País dos seios siliconados e da bunda de fora, uma cúpula criminosa goza à custa de 207 milhões de brasileiros feitos de otários.

“Foi bom pra você?”