Saúde

Com tudo em cima (depois dos 50 anos)

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Brasileiros com mais de 50 anos se mostraram mais satisfeitos com a aparência física
Brasileiros com mais de 50 anos se mostraram mais satisfeitos com a aparência física

A maturidade parece vir acompanhada de uma boa dose de confiança. Um estudo exclusivo coordenado pela empresa alemã Gfk, especializada em pesquisas de mercado, avaliou o nível de satisfação com a aparência física de 27 000 pessoas em 22 países. A pergunta foi simples: como você se sente quando se olha no espelho e analisa todos os seus aspectos físicos juntos? A resposta, entre os brasileiros, foi surpreendente.

De todas as faixas etárias avaliadas (as pessoas tinham idade a partir dos 15 anos), as mais felizes com a aparência tinham 50 e 60 anos. Em contrapartida, os jovens com menos de 20 anos são os que estão menos felizes com o que vêm. Diz Eliana Lemos, diretora de oportunidade de marketing e inovação da Gfk: “Os resultados surpreendem, pois é comum pensarmos que as pessoas estariam mais insatisfeitas com os sinais naturais do envelhecimento”.

O resultado da pesquisa tem como base fundamental o salto da expectativa de vida no país ocorrido recentemente. De acordo com o último levantamento do IBGE, o brasileiro hoje vive, em média, 74,9 anos — quase quatro anos a mais em relação aos últimos dez anos. O estilo de vida dos cinquentões e sessentões brasileiros também mudou. Pesquisas mostraram que homens e mulheres com mais de 60 anos gastam 10% a mais em compras de artigos relacionados à estima e à saúde, como procedimentos estéticos, assessórios de roupas, maquiagens e cabeleireiros, em relação aos mais jovens.

O trabalho mostrou também que os brasileiros como um todo estão em paz com a estima. Dos 22 países analisados, o Brasil ficou em terceiro lugar na questão “estar satisfeito com a aparência física”, atrás apenas do México e da Turquia. Coincidência ou não, o Brasil é vice-líder em outra categoria: das cirurgias plásticas – fica atrás apenas dos americanos. O levantamento mais recente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica mostrou que, em apenas um ano, são realizados 1,5 milhão de procedimentos cirúrgicos, dois terços por razões estéticas.

Fonte: Veja