Destaque

Ciclista baiana morre atropelada em Natal

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Alexia Suelen Alves dos Santos Van Petten’s, de 24 anos, que participava de uma expedição de bicicleta com amigos com destino ao Alasca, morreu atropelada em Natal, no Rio Grande do Norte. Um veículo invadiu a ciclofaixa da ponte Newton Navarro, matando a ciclista baiana.

O caso aconteceu no dia 14 deste mês e a morte cerebral da jovem foi constatada no último sábado, 17. Segundo a polícia, ainda não há identificação de suspeitos.

A família liberou a doação de órgãos de Alexia e a captação foi feita no domingo, 18. Na segunda-feira, 19, o corpo foi liberado pelo necrotério do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep-RN).

O velório, segundo informou a família, vai ser realizado nesta quarta, 21, no cemitério Jardim da Saudade, em Salvador. O corpo deve ser cremado na quinta, 22, no mesmo local.

Expedição

Alexia anunciou no dia 20 de maio que se juntaria ao grupo, que já havia passado pela Bahia. No dia 5 de junho, a baiana chegou à Paraíba, onde integrou o grupo, no município do Conde, de onde seguiram para o Rio Grande do Norte.

No momento do acidente, ela e mais cinco amigos ciclistas se preparavam para seguirem para a região Norte do país, depois iriam a outros países da América do Sul, América Central e Estado Unidos.

Em entrevista ao portal UOL, Marcelo Normande, amigo de Alexia, que veio a Salvador para acompanhar o velório, contou que eles não viram quando ela foi atropelada. “O ciclista que vinha atrás dela disse que um motociclista invadiu a ciclofaixa para fugir do radar de 50 km, bateu na bicicleta dela e a derrubou. Descemos em fila pela ciclofaixa. As câmeras não pegaram, as testemunhas não quiseram falar oficialmente”, explicou.

Os pais da vítima estiveram em Natal para acompanhar a filha. Eles disseram que não querem saber a identidade do autor do atropelamento, porque não querem dar espaço para revolta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.