Notícias

Carnes processadas podem ser uma ameaça à fertilidade masculina

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

A taxa de sucesso da fertilização in vitro nos homens que comiam menos carne processada foi 28% maior em comparação com aqueles que comiam menor quantidade deste tipo de carne
A taxa de sucesso da fertilização in vitro nos homens que comiam menos carne processada foi 28% maior em comparação com aqueles que comiam menor quantidade deste tipo de carne

 

O hábito de comer carne processada, como bacon, salsicha e presunto, faz com que os homens tenham menos sucesso nos tratamentos de fertilização in vitro (FIV), em comparação àqueles que mantém uma dieta sem esse tipo de alimento. É o que diz um estudo publicado recentemente no periódico científicoFertility & Sterility.

O trabalho, liderado pela a equipe de Wei Xia, pesquisador da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, analisou os resultados da fertilização in vitro de 141 homens submetidos ao tratamento, no Hospital Geral Massachusetts. Os participantes forneceram informações detalhadas sobre sua dieta.

Os resultados mostraram que a taxa de sucesso na fertilização in vitro foi 28% maior para os homens que comiam pouca carne processada, quando comparados àqueles que incluiam esse tipo de alimento na dieta do dia a dia. Estudos recentes já haviam comprovado que o consumo diário de carne processada aumenta a incidência de morte precoce em 20%.

“Nosso trabalho sugere que o tipo de carne pode influenciar a capacidade do esperma fertilizar um óvulo”, disse Rebecca Sokol, presidente da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva.

No entanto, especialistas ressaltam que ainda são necessárias mais pesquisas para encontrar os “mecanismos biológicos” de causa e efeito que justifiquem que o consumo elevado de carne processada prejudique a fertilidade masculina.

 

Fonte: Veja

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.