Esportes

Brasil empata com Colômbia e perde os 100% com Tite nas Eliminatórias

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

O jogo que colocou frente a frente o campeão simbólico e a vice-líder das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa da Rússia foi a festa que se esperava em Barranquilla. Na tarde desta terça-feira, 5, Colômbia e Brasil empataram em 1 a 1 numa partida equilibrada, aberta, emocionante e com mais de um protagonista. Isso porque o público que queria ver as peripécias e arremates de Neymar, Falcao García e James Rodríguez viu também as de Willian.

O jogador que Tite chamou de “foguete” após o jogo com o Equador, na quinta-feira passada, deu um novo motivo para merecer a definição. Aos 46 do primeiro tempo, ele aproveitou passe de Neymar e mandou a bola de primeira, no ângulo esquerdo do goleiro Ospina. Um golaço que, apesar de silenciar o Estádio Metropolitano Roberto Meléndez, fez valer o ingresso de seus 45 mil torcedores.

Mesmo debaixo de uma sensação térmica que bateu os 43°C, Colômbia e Brasil fizeram uma partida movimentada, com os dois times buscando o ataque e com um número considerável de chances de gol.

Jogo

A seleção brasileira começou a partida com suas linhas avançadas, com Neymar pela esquerda, Willian pela direita e Roberto Firmino fazendo o pivô pelo meio. O atacante do Paris Saint-Germain, contudo, não tinha liberdade alguma com a marcação de Santiago Arias, enquanto Firmino carecia de maior mobilidade. Willian, por sua vez, trabalhava bem a bola pelo flanco direito, ajudado principalmente pelos avanços de Daniel Alves. Ofensivo, o lateral sofreu com a marcação no primeiro tempo e precisou de atendimento duas vezes por entradas de adversários em seu tornozelo direito.

Na metade do primeiro tempo, Tite lançou mão da mesma alternativa tática da semana passada, permitindo a Neymar se movimentar por todos os setores de ataque, principalmente pelo meio. A mudança deu mais liberdade ao atacante brasileiro, mas também fez com que o lateral-direito Arias se desgarrasse mais ao ataque e aumentasse o poder ofensivo colombiano.

Apesar disso, na etapa inicial a Colômbia teve apenas duas chances de gol. Curiosamente, a melhor delas partiu de um cabeceio do zagueiro Thiago Silva. O defensor – que fez uma ótima partida e quase conseguiu anular Falcao García – subiu para evitar o cabeceio do atacante e acabou tocando contra a meta de Alisson, que se esticou todo e mandou para escanteio.

O Brasil, por sua vez, foi eficiente na marcação, rápido na saída de jogo e pouco perigoso nas finalizações. Firmino tentou duas vezes, sem perigo, enquanto Neymar teve uma boa chance, mas quase sem ângulo chutou cruzado para fora.

O primeiro tempo se encaminhava para um fim de futebol pouco mais do que morno numa tarde escaldante quando dois lances mudaram tudo. Aos 45, o jogo precisou ser interrompido porque um cachorro decidiu passear tranquilamente pelo campo de jogo, o que divertiu a torcida. E, aos 46, veio o golaço de Willian.

O gol no fim do primeiro tempo obrigou a Colômbia a ir ao ataque. Chará entrou na vaga de Cuadrado, e o técnico Jose Pekerman puxou James Rodríguez para atuar mais próximo de Arias, pela direita. Passou pelos pés dos dois o lance que originou o empate – um cabeceio certeiro de Falcao García aos 10, que se antecipou a Marquinhos.

Com a igualdade, a torcida se inflamou e a seleção colombiana correspondeu com muita pressão ofensiva. O Brasil não conseguia sair da defesa e Alisson precisou intervir três vezes. Tite, então, repetiu outra mudança que fizera quinta-feira passada, diante do Equador. Ele colocou Philippe Coutinho na vaga de Renato Augusto e a seleção equilibrou a partida. O empate se manteve e o Brasil perdeu seus primeiros dois pontos na era Tite pelas Eliminatórias. Mas segue invicto.

Com 37 pontos e o título simbólico das Eliminatórias já garantido, o Brasil volta a campo pelas Eliminatórias no dia 5 de outubro contra a já eliminada Bolívia. Já a Colômbia, que tem 26 pontos, recebe o Paraguai no mesmo dia.

COLÔMBIA 1 X 1 BRASIL – 16ª rodada das Eliminatórias da Copa – América do Sul

LOCAL – Estádio Metropolitano Roberto Meléndez, em Barranquilla (Colômbia).

QUANDO: Terça-feira, 5, às 17h30 (horário de Brasília)

GOLS – Willian, aos 46 minutos do primeiro tempo. Falcao García, aos 10 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Jesús Valenzuela (Fifa/Venezuela).

CARTÃO AMARELO – Cardona (Colômbia); Daniel Alves (Brasil).

RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.

COLÔMBIA – Ospina; Santiago Arias, Zapata, Davinson Sánchez e Fabra (Tesillo); Carlos Sánchez, Aguilar, Cardona (Teo Gutierrez), James Rodriguez e Cuadrado (Chará); Falcao García. Técnico: Jose Pekerman.

BRASIL – Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva (Rodrigo Caio), Marquinhos e Filipe Luís; Fernandinho, Renato Augusto (Philippe Coutinho), Paulinho, Willian e Neymar; Roberto Firmino. Técnico: Tite.