Política

Bolsonaro quer idade mínima de 60 anos para mulheres, diz Guedes

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou em um jantar na terça-feira, 5, que ainda não há consenso sobre a idade mínima que será fixada com a reforma da Previdência. Durante evento promovido pelo site Poder 360 a empresários,  ele afirmou que, pessoalmente, defende a idade de 65 anos para todos, independente do sexo. Porém, o presidente Jair Bolsonaro quer algo mais brando para as mulheres.

“O Bolsonaro acha que as mulheres deveriam ser 60 (anos para a aposentadoria) e homens, 65″, explicou.

Caso a idade mínima escolhida seja de 60 anos para as mulheres, a mudança será mais suave do que a idade que o governo do ex-presidente Michel Temer previa fixar, que era de 62 anos para elas e de 65 para eles.

Hoje, a exigência da aposentadoria por idade, um dos dois tipos de benefícios vigentes no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), é que as mulheres tenham 60 anos de idade e os homens, 65. Além disso, é necessário ter contribuído por pelo menos 15 anos para a Previdência.

No outro benefício, a aposentadoria por tempo de contribuição, não há idade mínima. As mulheres precisam contribuir por 30 anos e os homens, por 35. Esse modelo deve acabar com a reforma.

Reforma para mães

Guedes disse ainda que há a uma outra hipótese é reduzir a idade mínima das mulheres de acordo com o número de filhos. Em todos os casos haveria regra de transição.

“Eu conheço mais viúva do que viúvo. Quem conhece mais viúvo do que viúva? As mulheres duram mais. É evidente que eu acho que as mulheres deveriam ser também 65 anos. Uma ideia que está em consideração é que seja 65 anos para os dois, agora, se teve um filho, a mulher fica um ano a menos. Pode ser um ano a menos (por filho) até determinado limite. Tem que tomar cuidado com Dona Maria que pode ter 13 filhos, nós também não queremos estimular isso”, afirmou.

Na terça-feira, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, havia dito que Bolsonaro é contra igualar a idade para homens e mulheres após o vazamento de uma minuta da reforma da Previdência contendo a idade mínima igual para ambos os sexos.

O ministro da Economia negou que haja qualquer incomodo com a fala do vice.  “O Mourão passou três ou quatro meses do meu lado o tempo inteiro. Agora ele está certo… Bolsonaro já vai falar (que para mulheres é) 60 anos e daqui não passa. É o que eu imagino que ele vai fazer, não sei ainda. Nota 10 pro Mourão. O presidente tem predileção para um número menor. Quem tem voto é ele, eu só faço conta e mostro”, disse.