Notícias

BB deve fechar 12 agências e desligar mais de mil funcionários na Bahia

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Doze agências do Banco do Brasil (BB) serão fechadas e mais de mil funcionários podem ser desligados na Bahia, conforme o plano de reestruturação anunciado nesta segunda-feira, 21. De acordo com a assessoria do BB na Bahia, outras 33 unidades serão transformadas em postos de atendimento.

Com isso, o Estado passará a contar com 283 agências e 152 postos de atendimento. Atualmente, esses números são de 328 e 119, respectivamente.

Em Salvador, serão fechadas as unidade da Avenida Garibaldi, Cabula, Cidadela, Coelba, Costa Azul, Ondina,  Garcia, IAPI, Shopping Passeo e Paulo VI. No interior, as  agências da Rua J.J.Seabra, em Feira de Santana, e da  Av. Régis Pacheco, em Vitória da Conquistas, também terão suas atividades suspensas.

O presidente do BB, Paulo Caffarelli, garantiu que não vai fechar agência “em nenhuma cidade onde tenha apenas uma unidade”.

1.003 Este é número de funcionários que podem aderir ao plano de aposentadoria incentivada na Bahia

Caffarelli explicou que a reestruturação vai atingir regiões onde há agências próximas uma da outra, como ocorre nas maiores cidades. O objetivo é “remodelar a estrutura em busca de eficiência operacional”.

Para isso, além da desativação das unidades, a reestruturação também prevê a redução no número de funcionários por meio de um plano de incentivo à aposentadoria. Segundo o banco, em todo Brasil, 18 mil servidores se encaixam nos requisitos para aderir ao plano (mais de 50 anos de idade e 15 anos de trabalho no BB).

Funcionários na Bahia

Já na Bahia, 1.003 dos 5.206 que trabalham no estado podem aderir à proposta. Ou seja, um corte de 19% do efetivo no Estado.

Quem se inscrever vai receber o pagamento de 12 salários e indenização pelo tempo de serviço que varia entre 1 e 3 salários. O prazo para adesão é até 9 de dezembro.

Caso 9 mil funcionários aceitem a proposta, o BB prevê uma economia anual de R$ 2,13 bilhões ao ano. Se a adesão for de todos os servidores que têm perfil exigido pelo plano, a redução de custos é de R$ 3,75 bilhões ao ano.

Crítica

Os bancários foram surpreendidos com o anúncio de reestruturação do BB. De acordo com o presidente do Sindicato dos Bancários na Bahia, Augusto Vasconcelos, o banco não procurou as entidades que representam a categoria nacionalmente para informar da decisão de fechar as agências.

“Achamos absurda a posição do banco, que sequer chamou (a categoria) para negociar”

Augusto Vasconcelos, presidente do Sindicato dos Bancários na Bahia

“Achamos absurda a posição do banco, que sequer chamou (a categoria) para negociar. Estamos pedindo informações para a direção nacional”, disse Vasconcelos.

Ele defende que a medida vai impactar no atendimento ao público. “Hoje há déficit de funcionários e a proposta do governo vai, sem dúvida, piorar esse problema. Achamos, inclusive, que é uma posição irresponsável, porque o Banco do Brasil realiza operações de políticas sociais e desenvolvimento, como o Crédito Rural. Portanto, a redução no número de unidades penalizará sobretudo os mais pobres, que dependem do atendimento presencial”, afirmou.

O sindicalista também avalia a reestruturação como uma tentativa de privatização do banco e avalia que o BB não precisa passar por essa mudança, já que é uma empresa lucrativa.