Notícias

A bateria de celular que carrega em segundos e dura vários dias pode estar chegando

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Com certeza você já passou por algum problema por causa de um celular descarregado – seja o seu ou o da pessoa com quem precisava falar. Talvez este tipo de contratempo se torne cada vez mais raro no futuro, graças a uma tecnologia em desenvolvimento.

Um grupo de especialistas em nanotecnologia da Universidade da Flórida Central conseguiu criar supercondensadores capazes de armazenar energia muito mais rápido que as baterias de lítio utilizadas atualmente, e, segundo Nitin Choudhary, um dos responsáveis pelo estudo, funcionaria por mais de uma semana sem precisar de recarga.

A ideia por trás da técnica não é nova, e outros pesquisadores já haviam tentado utilizar baterias bidimensionais para turbinar a potência energética de aparelhos eletrônicos, mas sem sucesso. A equipe da universidade utiliza supercondensadores compostos por milhões de fios microscópicos, revestidos por materiais bidimensionais.

Além das vantagens já citadas, o novo material não enfrenta outro problema conhecido das baterias de lítio: sua vida útil é muito maior do que a dos equipamentos que usamos, que costumam apresentar problemas depois de 18 meses de uso.

A tecnologia está sendo desenvolvida também como opção para os carros elétricos, o que poderia revolucionar a maneira como nos locomovemos. Mas ainda há um empecilho: a criação dos pesquisadores é muito maior e mais pesada do que as baterias de lítio, o que significa que eles ainda terão que aperfeiçoar o produto antes de pensar em lança-lo no mercado.

1-aphonethatch

Fotos via Universidade da Flórida Central