Uncategorized

Baiano perde 105 kg sem cirurgia, acredite e veja aqui.

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Trago a história do publicitário baiano Fabiano Lacerda para tratar de um assunto que é muito importante no universo do esporte: objetivos. Ou propósito, como ele gosta de chamar. São as metas que nos colocamos ao longo da vida – e nesse caso eu já ultrapassei até o limite do esporte – que nos movem

Se você se bater com o publicitário baiano Fabiano Lacerda pelas ruas de Salvador, jamais vai imaginar que aquele homem alto e magro, hoje com 34 anos, já teve o peso na casa dos três dígitos. Eram 192 kg, para ser mais precisa, que ele carregava em seu corpo. Até que ele resolveu usar a corrida como uma das ferramentas para mudar e alcançar um objetivo que ele nunca tinha imaginado: perder ao todo 103kg.

Trago a história de Fabiano para tratar de um assunto que é muito importante no universo do esporte: objetivos. Ou propósito, como ele gosta de chamar. São as metas que nos colocamos ao longo da vida – e nesse caso eu já ultrapassei até o limite do esporte – que nos movem. Com a corrida de rua não é diferente. A vontade de se movimentar nos tira no zero, a de ir além nos leva aos 5km, 10km, 21km, 42km etc.

O primeiro propósito do publicitário foi ganhar uma aposta. Isso mesmo, depois de algumas brincadeiras por causa do seu peso, ele foi desafiado pelos colegas de trabalho a emagrecer 60kg em seis meses. Só do próprio pai o lance mínimo foi R$ 5 mil. Se perdesse, teria que pagar o dobro do que foi apostado por cada um. No meio das regras uma condição que ele encarou como um desafio: não poderia fazer cirurgia bariátrica ou utilizar remédios emagrecedores. “Quando meu pai fala uma coisa ele vai lá e faz. E eu puxei isso dele”, garante Fabiano.

Com o ego, literalmente, do tamanho que ele tinha, como ele mesmo brinca, levou a coisa a sério e para não correr o risco de perder a aposta, foi buscar ajuda de especialistas. Buscou orientações com nutricionista, profissional de educação física e fisioterapeuta para que seu corpo não fracassasse na missão. “Eu sabia que não podia ir com muita sede ao pote e fazer uma atividade muito intensa, senão ia me lesionar e não cumpriria a aposta”, lembra.

Então ele começou caminhando. Passou quatro meses assim. No final do quarto mês começou a trotar e aí começou a participar de provas de corrida. Caminhava a prova toda, mas ganhava incentivo para fazer distâncias maiores. O primeiro evento que participou foi uma prova noturna de 5km, em janeiro de 2015. Chegou em último lugar. Na segunda prova também foi o último a chegar, escoltado pelo Grupamento Águia. “Chegar assim, com muita gente batendo palmas, me deu mais força”, diz.

No quinto mês ele ganhou a aposta. Tinha perdido os 60kg e o seu propósito. “Meu deu um vazio enorme sem a aposta”, recorda. Mas, lembra aquela conversa sobre objetivos que tivemos mais acima. Sem mais nenhuma disputa em jogo, Fabiano percebeu que poderia continuar se desafiando e conseguindo ir mais longe. Então, lançou a meta de completar uma prova correndo do início ao fim; depois de fazer 10km caminhando; depois de fazer esses mesmos 10km, só que correndo; e foi assim até alcançar uma meia maratona com a prova Farol a Farol. Você acha que ele parou? Mirou em um terceiro farol, o de Humaitá e saiu do Farol de Itapuã, passou pelo da Barra e chegou no seu destino completando 36km.

Hoje, ele segue criando novos propósitos no esporte. Mas, carrega um ainda maior: “mover a vida as pessoas de alguma forma”. Fez um livro que conta sua saga, A Aposta: Motivações que encontrei para perder mais de 100 kg (Rosa de Saron/R$ 35/120 páginas), e se prepara para uma corrida vertical e, futuramente, um Iron Man. Eu só posso desejar a ele muita sorte e meus parabéns pelo grande exemplo. E, de alguma forma tranquilizá-lo de que está no caminho certo. Ao menos a mim, a sua história moveu a criar novos propósitos.