Esportes

Bahia tem mais um gol salvador no fim do jogo e está a um empate da Série A

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Com o Náutico e o Avai vencendo seus jogos, o Bahia entrou na Arena Fonte Nova, na tarde deste sábado (19/11), com a necessidade de vencer o Bragantino, o que manteria a esperança de subir para a Série A, a depender do resultado da última rodada, contra o campeão Atlético GO.

Era possível esperar, portanto, que o Tricolor baiano começasse sufocando o time paulista, mas o que se viu foi o Bragantino tocando, chegando à àrea do Bahia e dando um susto logo aos 2 minutos, em chute de Anderson.

Mas aos poucos o Bahia foi se acalmando, até que aos 9 minutos Luis Antonio acertou um tiro da intermediária. A bola bateu na trave e no chão, meio metro depois da linha. Um golaço. Bahia 1 x 0 Bragantino.

O torcedor, que lotava a Arena, passou a empurrar ainda mais o time, e aos 17 minutos, após cobrança de escanteio, Hernane subiu sem marcação e de cabeça fez Bahia 2 x 0 Bragantino, que com a derrota cairia para a Série C.

Em Juiz de Fora, o Tupi, que perdia de 2 a 0 para o Náutico, diminuiu. Um empate classificaria o Bahia, que a essa altura dominava a partida e estava mais próximo do terceiro gol do que o Bragantino do primeiro.

Aos 20 minutos, correu a informação de que o Tupi havia feito o gol de empate e a torcida comemorou como se fosse um gol na Fonte Nova, mas era mentira.

O Náutico que fez o terceiro em Juiz de Fora, 8 minutos depois, e aos 30 do primeiro tempo, em Salvador, Rafael Grampola driblou 2 zagueiros do Bahia, passou pelo goleiro Muriel e fez Bahia 2 x 1 Bragantino.

Com o gol, o time paulista renasceu e voltou a rondar a área, mas o Bahia também chegava no contra-ataque. E aos 40 minutos, Hernane perdeu na pequena área, sozinho. Era só ele, o goleiro e um gol imenso escancarado. Mas Hernane deu uma joelhada e isolou a bola.

Em Juiz de Fora, o Náutico fez 4 a 1. O Bahia precisava manter-se à frente do Bragantino e conseguir pelo menos um empate no último jogo, contra o Atlético GO.


A torcida encheu a Arena Fonte Nova – Foto: Romildo de Jesus

Segundo tempo

Bahia e Bragantino voltaram sem alterações e, como no início do jogo, o time de Bragança Paulista tentou ir para o ataque, mas o Tricolor baiano adiantou a marcação, dificultando a saída de bola.

O jogo ficou morno e só voltou a esquentar um pouco a partir dos 13 minutos, quando a torcida – 43 mil pessoas, recorde do Bahia na Arena Fonte Nova – passou a cantar mais alto, incentivando o time.

O placar de 2 a 1 era muito arriscado. Um gol do Bragantino dificultaria muito para o Bahia, que serria obrigado a vencer na última rodada.

Podia acontecer. E aconteceu. O Bragantino empatou, com Sitta, aos 25 minutos, em falha de marcação da defesa. A bola passou entre Muriel e a trave. Bahia 2 x 2 Bragantino. Foi um Dique do Tororó inteiro de água gelada.

Com o resultado, o Bahia teria que vencer o Atlético GO. Precisava, portanto, do terceiro gol, e foi para cima, mas sem a calma necessária.

Aos 36 minutos, a ansiedade se espalhava pela torcida, que foi se calando, parou de cantar, de olho no relógio, esperando que mais uma vez um gol salvador surgisse nos últimos minutos.

A chance apareceu aos 40 minutos, mas o chute de Hernane saiu mascado.

E o gol salvador apareceu, aos 43 minutos. Renato Cajá, sem marcação, em um chute indefensável, de perna esquerda. Bahia 3 x 2 Bragantino.