Esportes

Bahia sai atrás, chega a empatar, mas é goleado pelo Flamengo

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

Primeiro desastre da ‘Era Carpegiani’? Quem olha apenas o resultado de 4 a 1 a favor do Flamengo, na Ilha do Urubu, tende a aplicar este conceito para resumir o que foi o jogo na noite desta quinta-feira, 19.

No entanto, o Bahia teve seus bons momentos e dominou a partida na primeira etapa. Também mostrou poder de reação ao sair atrás no placar e buscar a igualdade parcial. Porém, sofreu com uma pane defensiva devido ao poderio aéreo do Flamengo, que contou com a inspiração de seu principal destaque neste tipo de jogada: o zagueiro Réver, autor de dois gols.

A goleada rubro-negra representou a primeira derrota do Esquadrão sob o comando do técnico Paulo César Carpegiani – que antes havia levado o time a um empate como visitante contra o Palmeiras, por 2 a 2, e a um triunfo por 2 a 0 sobre o Corinthians na Fonte Nova – e fez a equipe cair para a 13ª colocação no Brasileiro. Como consolo, manteve a distância de três pontos para a zona de rebaixamento.

Para o Ba-Vi da Fonte Nova, no domingo, 22, o time tem dois problemas. O meia Vinicius, com dores no tornozelo, e o atacante Edigar Junio, que sentiu lesão muscular, foram substituídos durante a partida desta quinta e podem ficar de fora.

Início truncado

O duelo no Rio demorou a engrenar. E, enquanto esteve truncado, o Bahia levava vantagem. Com a estratégia de partir nos contra-ataques aproveitando a velocidade de Mendoza, o Tricolor assustou aos 22 minutos, em chute de Zé Rafael interceptado por Diego Alves, e aos 29, quando Mendoza arrancou de forma espetacular desde o campo defensivo e deixou Vinícius na cara do gol. O meia finalizou em cima do arqueiro do Fla.

Os cariocas, em atuação burocrática, só assustaram em um chutaço de longe de Diego que Jean defendeu. O Bahia poderia ter feito mais, porém, falhou muito nas decisões finais em contragolpes promissores. Ponto negativo para o inconstante Zé Rafael.

O Flamengo iniciou o tempo complementar disposto a mudar a história do jogo. E o fez logo aos cinco minutos, quando Diego foi acionado em contra-ataque e parou na grande defesa de Jean. Na cobrança de escanteio, entretanto, o goleiro não evitou o tento de Réver, que pegou de primeira a sobra de uma disputa aérea.

Abalado com o gol sofrido, o Bahia pouco fazia até chegar ao empate em lance isolado. Hernane, que tinha acabado de entrar no lugar de Edigar Junio, foi derrubado na área por Juan. Mendoza cobrou e chegou ao seu quinto tento no Brasileiro, igualando-se a Rodrigão como artilheiro do time.

Mas o ataque aéreo do Urubu ainda faria muito mais estrago. Aos 31, Everton cobrou escanteio e Réver subiu ao 20º andar para testar no ângulo e recolocar o Flamengo na frente. Oito minutos depois, uma nova bola pelo alto procurou a cabeça de Lucas Paquetá, mas encontrou o cotovelo de Lucas Fonseca. Pênalti convertido por Diego, que, em lance pelo chão, fechou a contagem aos 41.