Notícias

Aroma de doces aumenta a vontade de comer guloseimas

No estudo, os participantes que sentiram involuntariamente o cheiro doce e gorduroso de um croissant de chocolate optaram por sobremesas mais calóricas, como um waffle, no almoço, em comparação com o grupo que não sentiu cheiro nenhum
No estudo, os participantes que sentiram involuntariamente o cheiro doce e gorduroso de um croissant de chocolate optaram por sobremesas mais calóricas, como um waffle, no almoço, em comparação com o grupo que não sentiu cheiro nenhum

 

Sentir um cheiro doce e gorduroso – como o de um croissant de chocolate recém-assado – aumenta as chances de uma pessoa escolher uma sobremesa altamente calórica. É o que diz um estudo publicado recentemente no periódico científico Appetite.

Aqui você encontra mais notícias de Itaberaba

No estudo, pesquisadores testaram se acontecimentos anteriores, como sentir o cheiro de algo delicioso, poderia afetar de forma inconsciente a escolha alimentar de uma pessoa posteriormente.

dentista-aparelho-implante-canal-dente-clinica-ortodontia-itaberaba-noticias-gardel-costa

Antes dos 147 participantes do estudo serem avisados que o experimento havia começado, os pesquisadores os dividiram em quatro grupos, que foram encaminhados para salas diferentes, onde deveriam sentar e esperar por 15 minutos.

O primeiro grupo (o de controle) ficou esperando em uma sala comum. Um segundo grupo foi encaminhado para uma sala onde havia um croissant de chocolate recém-assado. No mesmo local, havia também um dispositivo que exalava uma fragrância com o cheiro da guloseima. O terceiro grupo foi colocado em uma sala só com o doce, mas com um rádio que transmitia um programa sobre os perigos nutricionais de ingerir alimentos gordurosos. Por fim, o último grupo ficou em uma sala com o cheiro do croissant, mas que também transmitia o programa de rádio.

Em seguida, todos os participantes foram levados para uma sala com um buffet, onde poderiam escolher livremente uma opção de entrada, prato principal e sobremesa. Aqueles que tinham sentido involuntariamente o odor doce e gorduroso do croissant mostraram maior tendência a escolher sobremesas altamente calóricas, como um waffle, em comparação com as pessoas que não tinham sido expostas ao ambiente perfumado.

Para surpresa dos pesquisadores, os participantes que ficaram na sala com a transmissão de mensagens nutricionais também optaram por sobremesas de alto teor calórico, como é o caso do grupo quatro (que sentiu o cheiro e ouviu a mensagem).

“Podemos supor que as pessoas estão expostas a centenas de mensagens publicitárias e nutricionais todos os dias e por isso podem não prestar atenção em todas. Isso faz com que, ao invés de memorizarem a informação de seguir uma alimentação saudável a partir do programa de rádio, os participantes podem ter simplesmente focado nas palavras “gordo” e “doce” e por isso optaram por alimentos mais calóricos”, disseram os autores.

Embora este tenha sido um estudo pequeno, os pesquisadores ressaltam que os resultados trazem pistas sobre fatos inconscientes do dia a dia, mas que estão influenciando as escolhas alimentares das pessoas.

Diminua o consumo aos poucos

Para a maioria das pessoas, cortar doces de uma vez pode provocar uma espécie de abstinência, que levará a um posterior abuso de açúcar. Por isso, o ideal é parar gradativamente: comer doces por cinco dias na primeira semana, três na semana seguinte, até atingir a cota de um dia da semana. Para quem tem compulsão alimentar semelhante a um vício em drogas, porém, a recomendação é cortar o açúcar de uma vez.

Beba pouco líquido durante as refeições

Tomar líquido durante a refeição faz com que a comida se mova mais rapidamente do estômago para o intestino. Como a presença de comida no estômago é o que promove a sensação de saciedade, misturar líquido com sólido pode causar fome. Comer devagar, mastigando bastante os alimentos, também contribui para que o organismo se sinta satisfeito e esqueça qualquer vontade de comer doces.

Pratique atividade física

É comprovado: além de todos os benefícios que traz à saúde e à estética, a atividade física ainda diminui a vontade de comer doces. Estudos mostraram que, logo após se exercitar, as pessoas se sentem menos propensas a comer alimentos ricos em carboidratos, açúcar e gordura. Isso porque a atividade física estimula a liberação de hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar no organismo — o mesmo efeito causado pelo consumo de doces.

Evite olhar para os doces

O simples fato de ter um doce apetitoso ao alcance do olhar já é suficiente para despertar no organismo o desejo pela guloseima. Por isso, manter os doces longe do campo de visão — ou simplesmente não tê-los em casa — pode ser uma boa ideia.

Estabeleça um horário para as refeições

Ficar muitas horas em jejum faz com que o organismo busque uma fonte rápida de energia para manter seu funcionamento – com fome, dispara a vontade de comer carboidratos e açúcares. O ideal é alimentar-se de forma fracionada, com pequenas refeições a cada três horas.

Aposte nas fibras e nas proteínas

Alimentos ricos em fibras e proteínas ajudam a prolongar a sensação de saciedade no organismo – logo, são aliados no combate à vontade de engolir doces. Consuma fontes proteicas como ovos, peixes e carnes magras, e fibrosas como frutas, legumes e verduras.

Prefira comer doces logo após a refeição

Se a vontade por um doce for incontrolável, a recomendação é comer uma sobremesa na próxima refeição. O perigo de exagerar é menor: o organismo já estará saciado e ficará satisfeito com poucas colheradas de açúcar.

Consuma carboidratos com moderação

A ingestão de alimentos ricos em carboidrato, como pães e massas, libera insulina no sangue. Esse hormônio ativa a região cerebral responsável pela sensação de fome, aumentando o apetite.

Tome café da manhã

Pular o café da manhã pode aumentar o desejo por guloseimas. Como a refeição é a responsável por fornecer energia para o organismo começar o dia, ignorá-la pode fazer com que o organismo busque outras fontes rápidas de energia, como o doce.

Troque um doce por uma fruta

O açúcar dos doces é chamado de sacarose, e o das frutas, frutose. Enquanto a sacarose tem absorção rápida, pois é fácil de ser quebrada, a frutose demora mais para ser absorvida pelo organismo, o que prolonga a sensação de saciedade. Por isso, sempre que possível, é melhor trocar um doce por uma fruta.

Controle a ansiedade e o stress

Doces liberam serotonina, hormônio que causa a sensação de bem-estar. Assim, muitas vezes acabam sendo usados como antidepressivos. Controlar a ansiedade e o stress, praticando atividades que possam servir como fonte de prazer, pode ajudar a diminuir o desejo por açúcar.

 

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.