Esportes

Apesar de vitória, gremistas se irritam com árbitro: “Pênalti escandaloso”

A ODONTOLÓGICA é a principal Clínica da Chapada Diamantina. Atende as regiões de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim, Ruy Barbosa, Itaetê, Marcionílio Souza, Wagner, Utinga, Lençóis, Andaraí, Nova Redenção, Lajedinho, Ibiquera. Realiza atendimentos com especialistas em odontologia nas áreas de ortodontia, implantes, cirurgia, endodontia (tratamento de canal), odontopediatria, restaurações, periodontia, laserterapia, estética. Procedimentos Realizados: Restaurações, Estética, Periodontia, Tratamento de canal, Ortodontia, Aparelho ortodôntico, Extrações, Profilaxia, Remoção de tártaro, Implante, Enxerto ósseo, Levantamento de seio maxilar, Implantes Carga Imediata. Dr. Gardel Costa é Doutorando, Mestre e Especialista em Implantes, Especialista em Ortodontia, pós-graduado pela New York University.

A vantagem com a vitória por 1 a 0 sobre o Lanús, na primeira partida da decisão da Libertadores, não trouxe tranquilidade aos gremistas. Pelo contrário. Houve revolta dos tricolores com a arbitragem de Julio Bascuñan. Principalmente por um pênalti claro não marcado em Jael, no último lance da partida.

Já nos acréscimos, o atacante foi derrubado dentro da área após sofrer carga de Alejandro Silva. Os gremistas entenderam que houve uma penalidade, mas o lance foi entendido como normal. O confronto terminou e os jogadores fizeram uma roda em cima de Bascuñan. Em vão. Na zona mista, mais reclamações. O vice de futebol, Odorico Roman, detonou a arbitragem.

– O árbitro veio para administrar. Não deu cartão para quem tinha (havia cinco jogadores pendurados do Lanús), não deu pênalti escandaloso no Jael. O árbitro veio administrar, tirar o Kannemann e não tirar ninguém deles. Ele só não contava com o gol do Grêmio ou teria uma arbitragem perfeita para eles – desabafou.

O discurso explosivo do dirigente foi o mais contundente. Nem por isso, houve menos descontentamento entre os tricolores. Bruno Cortez questionou a utilidade do árbitro de vídeo na decisão. Apenas de muitos lances duvidosos, o recurso não foi utilizado uma única vez.

– Para que tem vídeo? Se há dois pênaltis e os caras não dão. Brincadeira – esbravejou.

Ramiro também citou os pênaltis. O primeiro reclamado seria justamente em cima do volante. Ainda na primeira etapa, aos 46, após driblar na área, dividiu com dois jogadores do Lanús e caiu.

– Achei pênalti claríssimo. Só se eu estou muito cego. Sofri carga por trás e pela frente. Ele falou que viu no vídeo. Tenho que acreditar que foram corretos – disse.

Com o resultado, o Grêmio vai com vantagem para para o jogo de volta na Argentina, na próxima quarta-feira. Será tricampeão da América com um empate. Vitória a partir de dois gols de diferença dá o título para o Lanús. Caso os argentinos vençam por um gol de diferença, a final irá para os prorrogação. Se persistir a igualdade, terá a cobrança de pênaltis.